quinta-feira, 26 de julho de 2012

Gravando vídeo sobre as calçadas

A produção do vídeo sobre as calçadas deu uma arrancada essa semana. Filmamos entrevistas, planos de cobertura e cenas musicais nas manhãs ensolaradas de céu azul anil profundo dos dias 25 e 26 de julho. As locações foram as calçadas nas proximidades da igreja São José (que está cedendo o salão para nossas atividades enquanto o CRI Vera Lucia Pilla, em reforma, não é devolvido à população).

Malú, Zuleika, Nilva Ferrari, Nilva Helena e Cida são as mulheres que filmaram, operaram som, entrevistaram, dirigiram, produziram e atuaram debaixo de sol forte até a hora do almoço. Fazendo e aprendendo, aprendendo fazendo, elas iram encarando o desafio. Assim foram superando dificuldades técnicas, descobrindo novas habilidades e talentos, melhorando o desempenho musical, experimentando entrevistar, experimentando dirigir e fazer produção de set. O grupo aos poucos está colocando em prática a expressão em uma nova linguagem, a do audiovisual, e tem prazer com isso. Bonito de se ver.
O processo de criação e produção coletiva que praticamos, complexifica as coisas. O vídeo é de todas, então precisa de acordo sobre as decisões e precisa todo mundo aprender a fazer tudo, revezando-se nas funções. Os erros vão aparecendo e se mostram importantes para aprender a fazer e para descobrir novas possibilidades. Uma característica marcante e libertadora do vídeo popular é que não precisa enquadrar-se em padrões estéticos e narrativos consagrados e aceitos no mundo audiovisual. Experimentamos livremente, fazemos do nosso jeito, e nesta fluidez criativa é que o grupo decidiu fazer uma reportagem musical sobre a questão das calçadas. (ver mais fotos)

Calçadas em ordem
A questão abordada neste vídeo importa para para tod@s pedestres, e mais especialmente para pessoas idosas e portadores de necessidades especiais. A calçada é lugar de passagem, de passeio, de paradinha para papear. Tod@s tem direito a se deslocar por sua cidade, ir e vir, fazendo os trajetos que bem entender. É complexo, pois é espaço público, mas o cuidado é privado. Manter as calçadas em ordem é responsabilidade de cada munícipe. A prefeitura dá orientação sobre como fazê-las de modo a garantir a passagem de pedestres, diminuindo o risco de quedas e evitando a formação de obstáculos. Na elaboração deste vídeo estamos contando com a colaboração do Rogério Almeida, da Divisão de Mobilidade e Acessibilidade Urbana da Prefeitura Municipal, que em campo esclarece nossas dúvidas e aponta possíveis soluções.




Nosso trabalho na mídia 
Esta semana recebemos uma equipe da Rede Globo de São Paulo, do programa Ação. A repórter Mariane Salerno, acompanhada por Ricardo Claro e Ivan vieram fazer uma reportagem sobre nosso trabalho. Acompanharam as gravações e uma reunião de criação e avaliação. Além de ser uma situação positiva para o projeto, que ganha visibilidade, a interação que rolou nestes dias foi interessante também, pois na alegre vivência de set e nas conversas que fizemos com eles aprendemos e ensinamos um pouquinho mais.

Paródias
A criação de paródias é uma prática que Nilva Helena, professora do Vera Lucia e integrante do grupo de vídeo, desenvolve há anos com as turmas de terceira idade com quem trabalha. Baseando-se nos relatos que os grupos fazem, nas questões que levantam e aproveitando frases delas, Nilva compõe paródias em cima de melodias bem populares, para facilitar que as pessoas cantem junto. Por um tempo o Grupo de Paródia criava, ensaiava e apresentava paródias, a maioria falando de temas tocantes à 3a idade. Em 2010, o grupo de vídeo do Vera Lucia Pilla produziu um videoclipe em cima da paródia "Xô, Dorzinha!" E agora elas voltaram com tudo no tema das calçadas! Nilva Helena criou umas 3, Nilva Ferrari criou outra e Zuleika outra. A paródia "Dona Jandira", que Zuleika criou em cima da marchinha "Jardineira", de Orlando Silva, foi filmada hoje de manhã. Em breve, aqui no blog!

Um comentário:

  1. Muito legal ver a continuidade desse trabalho! =)
    Parabéns a todos!

    ResponderExcluir